[UEL 2011] Pesquisas recentes mostraram que células-tronco retiradas da medula óssea de indivíduos com problemas cardíacos foram capazes de reconstituir o músculo do coração, o que abre perspectivas de tratamento para pessoas com problemas cardíacos. Células-tronco também podem ser utilizadas no tratamento de doenças genéticas, como as doenças neuromusculares degenerativas.

A expectativa em torno da utilização das células-tronco decorre do fato de que essas células

  1. incorporam o genoma do tecido lesionado, desligando os genes deletérios.
  2. eliminam os genes causadores da doença no tecido lesionado, reproduzindo-se com facilidade.
  3. alteram a constituição genética do tecido lesionado, pelo alto grau de especialização.
  4. sofrem diferenciação, tornando-se parte integrante e funcional do tecido lesionado.
  5. fundem-se com o tecido lesionado, eliminando as possibilidades de rejeição imunológica.


Resposta
sofrem diferenciação, tornando-se parte integrante e funcional do tecido lesionado.

[PUC-Campinas 2013]

“A Cevada BR 2, criada pela Embrapa-Centro Nacional de Pesquisa de Trigo (CNPT), originou-se a partir de descendentes F3 de duas linhagens puras. A BR 2 é a primeira cevada brasileira resistente a Pyrenophora teres, agente causal da mancha-reticular, principal moléstia da cevada no Brasil.”

(Adaptado de Minella,E.; Arias, G.; Linhares, A.G.; Silva, M.S. − Cultivar de cevada cervejeira resistente à mancha-reticular causada por Pyrenophora teres. Pesq. agropec. bras. v.34, n.11, 1999)

A descrição da cevada BR 2 indica que foi obtida por um processo de

  1. genômica e de bioinformática.
  2. engenharia genética.
  3. tecnologia de DNA recombinante.
  4. criação de transgênicos.
  5. cruzamento e seleção.


Resposta
cruzamento e seleção.

[UFSM 2015]

ciclos de vida de vírus

Fonte: AMABIS, José M.; MARTHO, Gilberto R. Biologia 2 – Biologia dos Organismos. São Paulo: Moderna, 2009. p. 59. (adaptado)

Um dos grandes empecilhos no desenvolvimento de drogas para o combate às doenças virais é a variedade de mecanismos de infecção, integração e replicação dos vírus. Os vírus são adaptados a tipos celulares e a hospedeiros específicos. A figura representa dois tipos de ciclos de vida de vírus (ciclos A e B).

A partir da figura, é correto afirmar:

  1. No ciclo apresentado em “A”, ocorre, após a produção de unidades virais na célula hospedeira (3'), a lise dessa célula (4') e a liberação de novos vírions.
  2. No ciclo apresentado em “A”, o DNA viral não é liberado para o ambiente após a replicação.
  3. No ciclo apresentado em “B”, o material genético do vírus é injetado na célula (2), integrase ao DNA do hospedeiro (3), porém é replicado separadamente, originando vírions.
  4. No ciclo apresentado em “B”, o material genético do vírus integra-se ao DNA do hospedeiro (3), porém não ocorre a replicação dos seus genes, sendo o vírus inofensivo.
  5. No ciclo “A”, os vírions produzidos (4') são incapazes de infectar novas células e, no ciclo “B”, os vírus são incapazes de replicar seu material genético.


Resposta
No ciclo apresentado em “A”, ocorre, após a produção de unidades virais na célula hospedeira (3'), a lise dessa célula (4') e a liberação de novos vírions.

[IFSP 2014] A raposa, o lobo e o cão doméstico pertencem a espécies biológicas distintas entre si. Suponha que o seguinte experimento tenha sido realizado com sucesso: o núcleo de uma célula do corpo de um cão tenha sido transplantado para um óvulo anucleado de uma raposa e o embrião tenha sido implantado no útero de uma loba, ocorrendo a gestação. O animal será um clone que apresentará características genéticas

  1. da raposa, apenas.
  2. da loba, apenas.
  3. do cão, apenas.
  4. da mistura do cão e da raposa.
  5. da mistura da raposa e da loba.


Resposta
do cão, apenas.

[UEM 2013] Com relação à biotecnologia e à engenharia genética, assinale a(s) alternativa(s) correta(s).

01) O fato de o genoma humano ter sido sequenciado significa que foi determinada a sequência de nucleotídeos do DNA humano.
02) Terapia gênica é o tratamento baseado na introdução de genes “sadios” de uma mesma espécie com o uso de técnicas de DNA recombinante.
04) Para a produção de organismos geneticamente modificados, o DNA gênico endógeno é inserido no núcleo das células hospedeiras por meio de plastídeos funcionais.
08) A utilização do conhecimento genético para obter organismos com características úteis à nossa espécie é chamada de clonagem.
16) As enzimas de restrição são encontradas no interior de qualquer célula viva e inibem a síntese de DNA a partir de RNA.



Resposta
01 + 02 = 03
« Primeiro ‹ Anterior 1 2 3 4 8 Próximo › Último »