[PUC-Campinas 2011] Além do hormônio do crescimento, outros fatores afetam o desenvolvimento do corpo humano, inclusive genéticos. A acondroplasia, que é uma disfunção genética que afeta 1 a cada 25 mil pessoas, demonstra isso. Esta síndrome é determinada por uma alteração no gene que codifica o receptor para o fator de crescimento de fibroblasto (FGFR3). Essa é uma condição autossômica e dominante, de forma que indiví- duos heterozigotos a manifestam. Por outro lado, embriões homozigotos para essa condição não sobrevivem.

A probabilidade de um casal, cuja mulher é acondroplásica e o homem normal, ter uma criança acondroplásica é de

  1. 100%
  2. 75%
  3. 50%
  4. 25%
  5. 12,5%


Resposta
50%

[UEM 2015] A acondroplasia é uma forma de nanismo provocada por um distúrbio de crescimento, devido a uma deficiência de ossificação. A altura média dos adultos afetados é de 130 cm para homens e de 120 cm para mulheres. Praticamente todos os indivíduos acondroplásicos são heterozigotos. Parte dos homozigotos conhecidos são gravemente afetados e falecem precocemente.

Interpretando as informações dadas e com base nos conhecimentos de genética, assinale a(s) alternativa(s) correta(s).

01) A acondroplasia é uma anomalia genética condicionada por um alelo dominante.
02) O alelo para acondroplasia é letal quando em homozigose.
04) Os genes letais podem ser dominantes ou recessivos.
08) A probabilidade de um casal acondroplásico ter uma criança heterozigota é de 1/4.
16) Um casal heterozigoto tem 25% de chance de ter uma criança homozigota dominante.



Resposta
01 + 02 + 04 + 16 = 23

[Enem 2010] Investigadores das Universidades de Oxford e da Califórnia desenvolveram uma variedade de Aedes aegypti geneticamente modificada que é candidata para uso na busca de redução na transmissão do vírus da dengue. Nessa nova variedade de mosquito, as fêmeas não conseguem voar devido à interrupção do desenvolvimento do músculo das asas. A modificação genética introduzida é um gene dominante condicional, isso é, o gene tem expressão dominante (basta apenas uma cópia do alelo) e este só atua nas fêmeas.
FU, G. et al. Female-specific hightiess phenotype for mosquito control. PNAS 107 (10): 4550-4554, 2010.

Prevê-se, porém, que a utilização dessa variedade de Aedes aegypti demore ainda anos para ser implementada, pois há demanda de muitos estudos com relação ao impacto ambiental. A liberação de machos de Aedes aegypti dessa variedade geneticamente modificada reduziria o número de casos de dengue em uma determinada região porque

  1. diminuiria o sucesso reprodutivo desses machos transgênicos.
  2. restringiria a área geográfica de voo dessa espécie de mosquito.
  3. dificultaria a contaminação e reprodução do vetor natural da doença.
  4. tornaria o mosquito menos resistente ao agente etiológico da doença.
  5. dificultaria a obtenção de alimentos pelos machos geneticamente modificados.


Resposta
dificultaria a contaminação e reprodução do vetor natural da doença.

[UEM 2011] João e Roberta se casaram. Ambos são normais e têm casos de albinismo na família. Como planejam ter filhos, resolveram procurar um geneticista para tirarem suas dúvidas. João informou que sua mãe era homozigota dominante para o albinismo e seu pai era normal, porém seu avô paterno era albino. Roberta informou que seus pais eram normais, porém tem uma irmã albina.

Considerando essas informações e que o albinismo tipo 1, na espécie humana, é condicionado por um alelo recessivo, assinale o que for correto.

01) João e Roberta apresentam a mesma probabilidade de serem portadores do alelo para o albinismo.
02) A probabilidade de João ser portador do alelo para o albinismo é de 50%.
04) A probabilidade de o avô e de a avó paternos de Roberta serem homozigotos dominantes é de 25%.
08) Se o casal tiver um filho albino, a probabilidade de o segundo filho ser albino será de 1/4.
16) Se o casal tiver um filho albino, a probabilidade de o segundo filho



Resposta
02 + 08 + 16 = 26

[PUC-Rio 2013] O albinismo é uma condição recessiva caracterizada pela total ausência de pigmentação (melanina) na pele, nos olhos e no cabelo. Na Figura 1, um casal (A e B) planeja ter um filho (C).

albinismo

Sabendo que B (mãe) é albina e A (pai) tem irmãos albinos, a probabilidade de A ser portador do albinismo e de C ser albino é, respectivamente:

  1. 1/4 e 1/8
  2. 2/3 e 1/3
  3. 1/4 e 1/2
  4. 1/3 e 1/6
  5. 1/2 e 1/2


Resposta
2/3 e 1/3
« Primeiro ‹ Anterior 1 2 3 4 12 48 Próximo › Último »