Experimento: Condução de água nas plantas (rosa arco-íris)

Este é um experimento muito simples, mas que chama a atenção por sua beleza. O experimento demonstra a condução de água através de vasos presentes nas plantas, um processo que permite que a água absorvida pelas raízes seja distribuída por todo o corpo da planta, chegando até as folhas e flores.

Nem todas as plantas possuem sistema condutor. As chamadas plantas vasculares desenvolveram ao longo da evolução tecidos especializados na condução de água (xilema) e seiva (floema). O xilema funciona como uma rede de canais que transportam água e sais minerais para todas as partes da planta. Dois fenômenos físicos estão associados à condução da água nas plantas vascularizadas: a capilaridade e a força de sucção gerada pela transpiração.

A capilaridade é resultado das forças de coesão entre as moléculas de água e da força de adesão entre as moléculas de água e a parede do tubo. Devido à ação dessas forças, líquidos sobem naturalmente por alguns centrímetros de tubos finos, como os vasos que compõem o xilema. Mas a capilaridade sozinha não é capaz de levar a água até as folhas das árvores mais altas. Daí a importância da força de sucção gerada pela transpiração das plantas, que ocorre principalmente na superfície das folhas.

Materiais necessários:

  • Flores brancas (ou bem claras)
  • Água
  • 2 copos
  • Tesoura
  • Estilete
  • 2 colheres
  • Corante alimentício em duas 2 cores (azul e vermelho dão bons resultados!)

Procedimento:

  1. Coloque água até mais ou menos a metade dos copos. Acrescente entre 30 e 40 gotas do corante alimentício azul em um copo e do vermelho no outro copo. Misture.
  2. Selecione uma flor e corte o caule até uma altura que permita que ela seja colocada no copo com água sem cair (rosas, por exemplo, costumam vir da floricultura com um caule muito longo). Com o estilete, divida a parte final do caule (aproximadamente 10cm) em duas partes, tomando cuidado para não quebrar.
  3. Coloque a flor na água com corante, de maneira que metade do caule fique num copo e a outra metade no outro copo.
  4. Aguarde. Em dias quentes os resultados começam a aparecer após cerca de 10 minutos. As pétalas começam a ganhar cor – azul ou vermelho – de acordo com o lado do caule pelo qual são irrigadas.

O resultado é mais visível e bonito nas pétalas, mas depois de algumas horas é possível observar que as folhas também começam a ficar coloridas.

rosa arco-íris

Sugestões de flores brancas: rosa, copo-de-leite, margarida, crisântemo 

Quanto mais concentrado o corante, mas rápido é o resultado do experimento. A temperatura ambiente também interfere bastante, em dias mais quentes as plantas transpiram mais e as pétalas ficam coloridas em menos tempo. 

É possível tingir as flores com mais cores (daí o nome do experimento, “rosa arco-íris”). Basta dividir o caule em mais partes e colocar cada uma delas em um copo com corante de cor diferente.  A dificuldade aumenta pois é difícil cortar o caule sem quebrar.

4 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *